Mesmo sabendo que todo mundo está vivendo o que atraiu para a sua própria vida, quando você descobre que prejudicou alguém, através de uma ação direta ou indireta, consciente ou não, e a sua intenção é a de reparar o que fez, você revela vivenciar um alto grau de amor. Significa que você transcendeu toda e qualquer crença egoísta ou bélica.
O conceito de karma diz que qualquer ato realizado voltará para o indivíduo.
Mas o estado de alma em que alguém se encontra, demonstra que, quando o estado é saudável o ato é construtivo e quando está doente, o ato é destrutivo.
O ato é a expressão do estado em que a pessoa se encontra. O efeito, na pessoa, já existe antes mesmo da causa. Não há retorno, há expansão ou explosão.
Quando uma bomba explode, o maior prejudicado é a própria bomba.
Quando alguém exerce o amor, expande-o e o maior beneficiado é a própria pessoa.
Não dá pra exercer o amor sem estar no estado de amor.
Se você está em estado de amor, naturalmente  exercerá amor e isso inclui ajudar a reparar danos que alguém tenha sofrido, principalmente se foram causados por você.

Por amor, não por culpa.

Como a culpa não faz parte do estado de amor, obviamente, no estado de amor em que se encontra, você já terá se perdoado. O seu foco estará apenas no afeto generoso.
O ato de ajudar é parte da fluência amorosa. Se não for amorosa não é ajuda, é algum tipo de mercantilização mascarada de caridade.

Nessa necessária evolução, vai chegar um dia em que você permanecerá em estado de amor e, num estado de consciência tal que saberá ajudar indistintamente à todos, dando a cada um exatamente o que cada um precisa, sem para isto precisar pensar… será pelo sentir.

Esse processo todo começa com

Foco no afeto!