Todos somos filósofos pois todos temos a necessidade de saber quem somos,
para onde vamos, de onde viemos e qual é o nosso destino. Nada disso, porém,  
poderá ser eficazmente estudado e aplicado se não atentarmos ANTES para  
COMO FUNCIONAMOS BIOLOGICAMENTE. Antes de decidir por uma viagem,  
temos que fazer os reparos necessários no veículo de transporte, senão a  
viagem será um pesadelo (como está sendo a “viagem” da espécie humana).  
Depois que descobrimos que não estamos respeitando o básico do “manual de  
instruções”, fica claro o porque de tantas disfunções relacionais (consigo  
proprio e com os outros) tantas doenças, tanta sensação de inadequação,  
tantos problemas existenciais e psicológicos. A NATUREZA NÃO ACEITA  
DESAFORO! Depois que ajustarmos o nosso funcionamento através das  
correções necessárias (adequação do sedentarismo, adequação da caça,   
supressão da guerra e saneamento relacional do agrupamento através da  
expansão do conceito de familia, sendo família toda a espécie humana) aí  
teremos a consciência suficiente para aproveitar produtivamente a filosofia  
brilhante e heroicamente prodzida pelo homem através da história.  
Biologicamente somos uma relação que, para dar certo, precisa ser  
cooperativista, colaboracionista e generosa. Fora disso atuamos como praga. A  
generosidade relacional global é o modo de “funcionamento” da nossa espécie  
e, por isso, essa consciência pode ser espalhada com muito mais facilidade do  
que foi a da guerra. Guerra não é a nossa vocação biológica, é mau uso da  
“máquina” humana, ela foi adotada por ignorância e falta de percepção,  
baseada no medo. Generosidade nem é uma opção filosófica, é a nossa ÚNICA  
vocação relacional.

Única opção saudável.

Foco no afeto!!!