A humanidade é uma relação orgânica, assim como o corpo humano. Nós estamos muito mais ligados do que imaginamos. Aliás, ligados pressupõe a possibilidade de desligamento. Mais do que ligados, nós somos uma única “coisa”. O planeta inteiro, o universo inteiro. Na medida em que uma pessoa se considera um indivíduo, separado do resto, é nessa medida que ela se torna uma parte doente desse todo. A saúde é perceber, através do sentimento (consciência), que ela é parte orgânica desse todo. Para que o todo esteja saudável, não basta essa percepção de cada pessoa, é preciso que a relação de cada pessoa com esse todo seja generosa. Todos a favor de todos. Todos são muito importante para todos. O problema de cada um é problema de todos. A dor de um é a dor de todos. A alegria de um é alegria para todos. Nós somos originalmente empáticos e tudo o que nubla essa percepção de empatia entre nós, é doença. Com esse foco, nós curamos todos de tudo o que não for saudável.