Da mesma forma como o nosso corpo procede com os alimentos separando o que é nutriente do que é detrito, absorvendo os primeiros e eliminando os segundos, precisamos fazer o mesmo com tudo o que a nossa mente recebe diariamente. Tanto com a comida quanto com as informações, vivemos em uma época de excesso de oferta. A intenção do poder é, de fato, intoxicar e fragilizar para que geremos divisas a qualquer custo. Com a comida logo percebemos os efeitos nocivos, com a informação demoramos bem mais a perceber. Muitas vezes quando percebemos, ela já virou “cultura de vírus e bactérias comportamentais”. “Informatite aguda”. Tanto o antibiótico quanto a vacina de prevenção estão em uma só prática:meditação.A meditação despolui o organismo em todos os níveis: físico, mental e emocional. Com muita prática da meditação, a pessoa começa a ter maior capacidade de percepção. Distingue melhor o que é nutriente e o que é detrito e pode fazer escolhas mais saudáveis. Ela, então, conseguiu aumentar a potência do farol da consciência. Percebe mais, escolhe melhor.