O fluxo dos sentimentos parece um fenômeno totalmente expontâneo. Mas não é.

É fruto de hábitos relacionais. Maus hábitos geram fluxo de maus sentimentos (em relação a si próprio e aos outros) e o contrário tambem.


Chega uma hora em que estamos sentindo sentimentos que não são nossos, são importados ou providenciados para determinadas ocasiões ou sentindo coisas que já foram resolvidas, terminadas, já evoluiram, mas a “coisa” está lá. Se isso acontece com muita frequência os sentimentos nos controlam numa espécie de “automático” cujo botão on/off nem sabemos mais onde está. E lá ficam os sentimentos instalados, ligados 24h.


Certa vez criei uma frase que está no meu livro Senhas “Se você estiver de mau humor, comece a rir. No começo vai achar sem graça mas daqui a pouco a graça vai achar você”

Está aí a raiz da idéia da Fisioterapia Dos Sentimentos que estou propondo.


Tenha um espelho por perto. De vez em quando olhe pra ele e perceba que cara é aquela. Triste, alegre, sisuda, aérea, depressiva, amarga, feliz, apaixonada.


Confira dentro de voce se o que voce está vendo bate com o que voce está sentindo.

Vai ver que nem sempre. É porque quase sempre estamos com a cara que os outros exigiram que apresentássemos e o que você está sentindo não pode ser mostrado.


Seria interessante que estivessemos sempre com a cara do QUE estamos sentindo.

Para isso teriamos que tirar da frente esses “sentimentos” automáticos instalados e

ligados.


Não dá pra achar aquele botão on/off para desliga-los.


O que dá pra fazer é um trabalho de recuperação da identidade sentimental por meio da Fisioterapia Dos Sentimentos que estou propondo.


Prática:


1- Pergunte-se


O que eu estou sentindo agora?


Não precisa responder com o nome do sentimento, basta sentir.

Permaneça conectado a esse sentimento por um minuto.

Agora olhe no espelho e veja se confere a sua expressão com o sentimento.

Se não conferir, olhando para o espelho, vá mudando a cara.

Permita-se sentir intensamente o que voce, de fato, está sentindo até

que voce perceba que esse sentimento esteja estampado no seu olhar.

Quando estiver, pronto, feito.


Faça isso algumas vezes por dia.



2- Pense numa pessoa e conecte com o sentimento que tem por ela por um minuto.

Não precisa pensar no nome do sentimento, basta sentir.

Permaneça conectado a esse sentimento por um minuto.

Agora olhe no espelho e veja se confere a sua expressão com o sentimento.

Se não conferir, olhando para o espelho, vá mudando a cara.

Permita-se sentir intensamente o que voce, de fato, está sentindo até

que voce perceba que esse sentimento esteja estampado no seu olhar.

Quando estiver, pronto, feito.


3- Faça a cara de um determinado sentimento de sua escolha, daí olhe no espelho pra ver se confere a cara com o sentimento. Repita o processo acima até dar certo.

4- Escreva em papeizinhos os vários sentimentos que conhece, podem ser o que citei acima: Tristeza, alegria, sisudez, abrstração, depressão, amargura, felicidade, paixão de amor, raiva, ódio, etc.

Jogue os papeis com os nomes num recipiente e faça um sorteio. O que sair é a sua tarefa.

O bom exercício é aquele em que você faz, no mínimo quatro sentimentos diferentes.

O procedimento é igual ao descrito acima: Sentir, espelho, conferir, se não bate vai fazendo a cara até dar certo.


Você estará bom quando a cara sempre conferir com o sentimento.


Bons exercícios!