Há muito (senão desde sempre) que a nossa civilização aceita ser conduzida pelo poder da força.
Essa engrenagem funciona a partir do controle despótico (declarado ou anônimo) sobre a forma com que nos comunicamos, sobre a forma com que ganhamos a vida (sobrevivência) e sobre a forma com que exercemos a nossa sexualidade.

Simplificando

Há um tripé que mantem a vida possível em civilização:

1 Sexo controlado pela ética e decorrente moralidade

2 Voracidade financeira para se obter a sobrevivência (isso é causado pelo poder, é a principal ferramenta da sua manutenção)

3 Hipocrisia, que é um requinte da mentira. É graças a possibilidade da mentira que o poder, na civilização, é conquistado e mantido. Se a mentira não fosse possível entre nós (se nós todos lêssemos as mentes de todos) quem determinaria o poder seriam unicamente os parâmetros da natureza.
Mais ou menos parecido com o restante dos seres vivos do planeta.

As pessoas que estão no poder estabelecem uma ética e um código moral para refrear o povo e mante-lo cativo atraves de leis, punições, religiões, etc. Como essa ética e moral são desumanas, as pessoas do poder não as obedecem, mas criam a personalidade de fachada, hipocrisia.
O povo, que por sua vez não é bobo (só é covarde), sabe muito bem disso e aprende a mentir para não ser pego e policiar quem é pego (fofoca).

A mentira, muitas vezes, nos livra da punição que sofremos por agirmos humanamente.

Acusar mentirosos muitas vezes nos faz bem aos olhos dos outros, é uma forma de sermos mais bem aceitos ou menos rejeitados socialmente.

Qualquer pessoa ou instituição que, de alguma forma, controle a sua sexualidade, não é boa. É mero exercício de poder.

Qualquer pessoa ou instituição que, de alguma forma, limite ou o impeça de trabalhar e que, com esse trabalho, você possa ter uma vida digna, não é boa. É mero exercício de poder.

Qualquer pessoa ou instituição que, de alguma forma, te obrigue a mentir para que você possa se exercer como ser humano, não é boa. É mero exercício de poder.

Chegamos ao ponto.

O poder de uns sobre os outros é o nosso grande mal, é o que nos faz agir como praga no planeta.
Nós nos destruimos a nós próprios, ao nosso semelhante e ao meio em que vivemos. Isso é praga (consulte um biólogo).

E esse poder só existe graças à possibilidade da mentira.

Sem mentira seriamos obrigados a nos comportar como os demais seres do planeta.

Uma organização determinada pela natureza, com poder sim, mas não o elaborado pela mente.

Como a procriação é determinada entre muitos dos animais?
A fêmea escolhe o melhor macho do bando para dar seqüência à espécie.
Quando isso não está muito claro, os machos brigam e quem vence procria, sem traumas, “no hardfeelings“.
Cada um tem a sua função no bando a cada momento.

Já na espécie humana, o macho derrotado vai fazer um lobby politico com outros espécimes para se vingar do macho vencedor, obviamente tendo a mentira como principal ferramenta, e daí vai….e daí veio…até hoje.

A mentira serve à principal perversão da espécie humana: o poder forjado.

A verdade usada coletivamente derrubaria esse poder, usada individualmente derruba o verdadeiro.

Juro que eu to falando a verdade.

A verdade sempre vem à tona, mesmo que ninguém descubra. Às vezes sob a forma de doença, as vezes sob a forma de um desencontro, de uma tristeza, de um desamor, de uma “des” qualquer coisa…

A verdade é a nossa vocação humana, a de exercermos uma relação aberta e franca.

O poder forjado nos torna praga.

O caminho da saúde:

Dentre todas disponíveis na civilização, qual é a forma de relação mais livre e onde você pode ficar mais à vontade para abrir seu coração com a quase certeza de que tudo o que você disser nunca será usado contra você?

A amizade.
Sabe porque?
Porque numa amizade verdadeira não há interesse além do exercicio do afeto gerado pela afinidade.

Numa amizade você tem sempre a liberdade de se aproximar ou de se afastar, porque está ali por opção, não por contrato ou pacto. A verdadeira amizade não cobra nada, a colaboração é mútua e expontânea.

Quantas verdadeiras amizades você conhece? Quantas já teve? Se teve ainda tem, porque se é amizade verdadeira não acaba nunca.

Quer estragar uma amizade ou impedir o seu exercício?
É só conviver com o seu amigo no meio de amigos falsos (hipócritas que usam o formato da amizade por puro interesse) Daí vem os filhotes: inveja, fofoca, intriga, etc.

O segredo da amizade é o segredo.
Aí ela fica isenta de agentes poluentes.

Quer viver um amor plenamente, integralmente e com toda entrega e dentro da civilização?
Viva o amor como se fosse uma amizade. Sem interesses velados e em segredo.

Aí dá aquela vontade de sair gritando para o universo que você está vivendo a coisa mais linda que existe: expresse esse grito com o seu amor, não publique, senão o poder forjado te esmaga sem dó.

Não esqueça de que o poder quer todo mundo infeliz, para que ele te venda bem caro os simbolos da felicidade.

Felicidade é uma afronta para o poder instalado nos cidadãos. A reação é violenta e destrutiva.

Como é que voce vai conviver com os civilizados, vivendo uma amizade ou um amor infinitos?

Simples: Use a linguagem imposta pela civilização.


continue omitindo e mentindo…

…e continue sendo feliz, o quanto possível.

só que sem culpa.