Pense um pouco no quão necessária é a matemática para os demais animais, além do homem, vegetais e minerais do planeta.

Partindo da inquestionável premissa de que o homem tem se exercido como uma praga no planeta, a perversão (dentre tantas) que possibilitou chegarmos ao grau de destruição a que chegamos, está em tudo que o homem fez a partir da invenção ou descoberta do número (que me perdoe Pitágoras). Não me refiro à simples contagem de objetos, estrelas, deuses, mas à aritmética e matemática, à quantização para construir máquinas, armas e finalmente o dinheiro que tem a arrogante e equivocada pretensão de representar a energia gasta com o trabalho. Não que o escambo fosse a forma ideal de interação econômica a que o dinheiro veio substituir. Antes, a organização social possível, dada a rudeza das civilizações da época (inclusive hoje) jamais permitiria algo menos pior que o dinheiro como evolução natural para o escambo.

Lembremos que o homem não tem habitat natural, precisa predar para sobreviver. Lembremos também que o homem não precisaria nem mesmo ser caçador mas virou guerreiro. O que esperar de tal consciência? (ou ausência dela). Tal grau de consciência não poderia fazer do número uso menos pior. Lembremos também que, do número, veio a música organizada, a astronomia, a astrologia, e evolução da medicina e das ciências. A pouca percepção permitida pelo baixo grau de consciência faz o homem recorrer ao numero para organizar, segundo a aritmética e a matemática, a sua precária visão da natureza como um todo. E, ao proceder assim, destroi o sistema orgânico que pretende analisar, entender e interagir.

Para nós, praga civilizada, a aritmética e a matemática (invenções nossas) se tornaram imprescindíveis.

Só não esqueçamos que a praga se auto-destroi, destroi o meio ambiente e aos seus semelhantes.
Se um dia nos tornarmos parasitas do planeta, isso já será um maravilhoso upgrade para a espécie.

O que seria da humanidade se não fosse a aritmética e a matemática?

A adaptação do homem à natureza não depende de tecnologia, requer percepção animal. Sim, esse mesmo que a gente tem menosprezado e taxado de instinto inferior. E o que diz essa percepção é que somos uma relação, como tudo na natureza. Uma das imperfeições na percepção de como devemos exercer essa relação é a de que temos que exercer poder uns sobre os outros. Isso faz parte da idiotice de imitarmos os outros animais. Essa idiotice inicial é a principal causa (nos homens) de termos nos tornado uma praga. NÃO É POR AÍ!

O homem tem características comportamentais próprias. Ainda não satisfatoriamente exercidas devido a essa falta de percepção de si próprio. Daí caça e guerreia para sobrevivência de grupos, mas nisso danifica a espécie e o meio ambiente. O requinte de manipulação da natureza que a aritmética e a matemática nos permite, dá-nos a falsa sensação de evolução, mas é só olhar em volta para vermos que tudo que estamos conseguindo é distanciarmo-nos cada vez mais da natureza.

O poder como motivador de evolução nos trouxe até aqui.

O estudo e a prática da interação pacífica entre os homens poderá, talvez, nos promover a parasitas do planeta.

Já será uma grande coisa!