Fazer parte de uma espécie que sempre atuou como praga no meio em que vive, trás, no mínimo, desconforto, sensação de inadequação, confusão de ideias e culpa…mesmo que o espéciME atue bem pouco como praga e seja apenas conivente pela omissão. Essa culpa já faz parte INTEGRAL do ser humano. É de nós mesmos que estou falando. Os caminhos para a harmonização consigo próprio e com o ambiente são vários…existem muitas opções, mas o ponto de partida é um só: O PERDÃO a próprio. Quando é que eu sei que me perdoei? Quando confiro nas minhas atitudes físicas e mentais NENHUMA ação auto-destrutiva (suicida). Todos todos todos nós civilizados estamos em processo de suicídio coletivo. Cada espéciME de um jeito e em numa intensidade mais ou menos diferente, mas estamos todos nos matando. É a culpa que aceitamos carregar por atuarmos como praga no planeta, a mãe dessa culpa.

Seria trágico se não houvesse saída, mas é só catastrófico por que temos a opção de não atuarmos desta forma, como praga.

Nós podemos parar de imitar cretinamente a natureza e despertarmos a NOSSA natureza harmoniosa e então interagirmos com a natureza do planeta. Percebermos que somos uma RELAÇÃO, entre humanos, entre tudo que é animado e inanimado…com tudo.

Tem que deixar de ser guerreiro, tem que deixar de ser caçador, tem que deixar de escravizar, tem que deixar de competir, tem que deixar de pensar em liderança e liderado, tem que deixar a NOSSA natureza atuar.

A gente só vai conhecer essa natureza depois que conseguirmos o perdão a nós mesmos.

É simples e meio inacreditável…por que parece simplista.

Ninguém melhor do que você, ninguém com mais crédito para você do que você mesmo.

Portanto PERDOE-SE.

Repita infinitas vezes que você se perdoa acreditando ser possível o perdão, porque É!!!
A culpa é apenas uma idéia que está aí te destruindo, reforçada pelos poderes, pelas igrejas e pela mídia. Você já não é o mesmo que cometeu o erro, assim, essa culpa é injusta, assim como a auto-punição a que você está se submentendo.

Repita infinitas vezes, verbal ou mentalmente:

EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO. EU ESTOU PERDOADO…

Há milhares de anos a gente carrega essa culpa “genética”. Está no sangue, na memória “cromossômica“, no “DNA“, mas isso não quer dizer que a gente não possa mudar. Tem cura.

Nos pontos em que você conseguir o auto-perdão você vai ver o alívio que vai sentir. Ficará mais difícil compactuar com uma nova atitude ou ato destrutivo. Você vai sentir desafinidade com esses atos, pensamentos e ideias.

Lembre que a humanidade não é assim destrutiva no “automático”, tem siso assim por idiotice…(idota atende ao impulso do id irrefletidamente). A gente já tem condição de mexer nisso, e pra melhor.

Acredito em solução caso a caso, individuo por individuo….aí a coisa rola pela consciência e não pelo condicionamento.

O desavisado diria: “Mas não é isso que você está sugerindo que a gente faça? Condicionar a mente ao auto-perdão????”

Não, não é isso. É reverter o registro. Se você se perdoa pelo condicionamento, não houve consciência nesse processo e , por isso, vai continuar errando e vai criar mais culpa.

Mas se você apagar o registro de culpa, não “consegue” errar mais.

Por isso é uma oração mental ou verbal: EU ESTOU PERDOADO e não alguém falando que você está auto-perdoado.

Repita, repita,repita e repita….


EU ESTOU PERDOADO.

Só assim seremos capazes de perdoar os outros.
Mas isso é um outro capítulo.