O último verso dos Beatles foi na música The End:

“And in the end, the love you take is equal to the love you make”.

Quarenta anos depois estou eu aqui “descobrindo” o significado disso. Achei mesmo até que tinha criado mais uma frase para o meu livro de frases:

“O amor que a gente recebe sempre equivale ao amor que a gente dá”

Parei de reclamar do pouco amor que recebo em certas circunstâncias.
Parei de agradecer pelo amor que recebo das pessoas queridas que me rodeiam.
Se eu não recebo é porque não estou dando, se não dou, tenho problemas (causa e conseqüência)

Passei a observar que o que me impede de dar amor (nas situações em que não consigo fazer isso) é a maldita intolerância com as limitações alheias. Que é EXATAMENTE a intolerância com as MINHAS limitações. Se eu não me aceito, se não me gosto errando, se não sou carinhoso comigo, ferrou. Eu não tenho que me punir por nada, porque o único jeito de aprender, realmente eficáz, é errando. Se eu me perdoo e se me tolero, já estou me amando e estou pronto para dar amor. O amor não “aceita” tensões internas mal resolvidas, tem que relaxar mesmo, se aceitar. Se eu faço isso comigo mesmo, os outros sentem e se aproximam, em geral com amor. Se você amou e não foi correspondido (em qualquer nível de relação) cai fora. Não gaste à toa a sua energia, o seu carinho. Isto acontece porque você AINDA não está pronto para uma relação amorosa. Ainda tá achando que deve. O seu alto astral vale muito, custou muito a ser conquistado, por isso escolha bem com quem vai dividir. Agora se você tá achando que deve para o mundo, é melhor contratar um chicoteador para te flagelar. Ao menos assim não haverá decepção. Em matéria de amor, ninguém deve nada para o mundo e vice-versa. Quando há erro é sempre do lado do doador: deu demais e não viu que a recíproca não era verdadeira.

Pais manipuladores e autoritários são mestres em deseducar filhos e criar monstros doadores compulsivos.

A pessoa mais importante desse mundo para você, TEM que ser você. Então trate de cultivar o bom humor, SEJA alguém divertido para você mesmo. RIA DE VOCÊ MESMO! Você se tornará uma pessoa tão agradável (doadora expontânea de amor) que o mundo vai te tratar bem melhor.
Aí dará pra escolher PARA QUEM você doará essa preciosidade de astral…e rebecer igual. Você estará pronto para a troca digna. Pronto para o amor.

Nunca mais vou me esquecer: “And in the end, the love you take is equal to the love you make”.
Beatles 1969