Bem, indo diretamente ao assunto, os problemas psicológicos que afetam os adultos, se tivermos que ser genéricos, são conseqüências de situações e vivências problemáticas da infância, da adolescência e pós adolescência não ou mal resolvidos.

Como tudo o que é vivo dispõe de dois impulsos básicos: caça e amor, e a nossa civilização está quase que totalmente centrada na caça, sobra bem pouco ou quase nada de espaço para o exercício do amor nas relações. É aí que está à causa: ao atendermos alguém sempre descobrimos que a ausência do amor, em algum momento, foi a causa do “problema”. Fica óbvio que o amor é um complemento indispensável na “terapia”.

O amor deve estar presente em todas as relações: cordialidade com os “estranhos” e “diferentes”, nas amizades, nas relações profissionais (originalmente relações de caça) nas relações familiares, nas relações amorosas onde o sexo é parte integrante e PRINCIPALMENTE na relação consigo mesmo.

Quem não se ama o bastante acaba por atrair relações com igual porcentagem de desamor. Aí é que entra a terapia com a função de recuperar ou despertar e aumentar a AUTO-ESTIMA. Todas as terapias trabalham, de formas diversas, com o aumento do auto conhecimento (percepção de si próprio) e acaba dando certo aquela terapia que foi capaz de estimular, com sucesso, a melhora nas relações da pessoa consigo própria. O resto é conseqüência natural desse auto- redimensionamento: relações amorosas.

Melancolia, depressão, hiperatividade, mania, sensações problemáticas de superioridade ou inferioridade, disfunções sexuais, compulsões, ansiedades, etc. em geral (e essa é a proposta do artigo, ser genérico)

Têm origem meramente comportamentais, mas se não tratadas quando surgem acabam se tornando físicas (químicas) e com extensões de somatização.

Os “problemas psicológicos de adultos” são conseqüências de problemas da infância, adolescência e pós-adolescência não tratados.

A cura é uma só: O AMOR, a começar por si próprio. É bom lembrar que ressentimentos, mágoas, ódios, sentimentos de vingança, etc. são os melhores mantenedores de cabeças problemáticas.