Quem é o seu interlocutor?

Com quem você fala?

Não, não me refiro às pessoas vivas com que você conversa ou discute diariamente. Me refiro à pessoa oculta atrás daquele solilóquio que praticamos diariamente. Àqueles fantasmas com quem quase todos nós conversamos em silêncio.

Solilóquio
[Do lat. soliloquiu.]
S. m.
1. Fala de alguém consigo mesmo; monólogo: &
2. Forma dramática ou literária do discurso em que a personagem extravasa de maneira ordenada e lógica os seus pensamentos e emoções em monólogos, sem dirigir-se especificamente a qualquer ouvinte.

[Cf. soliloquio, do v. soliloquiar.]

O termo solilóquio serve para você me entender, mas ainda não é exatamente a um solilóquio que me refiro, porque no solilóquio você fala com ninguém, apenas se expressa, ao menos é isso o que o dicionário diz.

Essa conversa a que me refiro tem interlocutor(es). São aqueles “fantasmas” com quem conferimos, revisamos, afirmamos, negamos, discutimos nossas idéias, posturas e decisões.

Então, pare um pouco e lembre quem são e como são eles.

Está pronto para ouvir?

Então lá vai:

São eles que FAZEM a sua cabeça.

O que você tem de problema comportamental, filosófico, conflito pessoal, etc. é GERADO pela autoridade que você confere a esses “fantasmas”. Eles podem ser os mantenedores do céu, do purgatório ou do inferno em que você vive.

Cada “pessoinha” dessas é composta de, no mínimo, 8 componentes:

1 Pessoas mesmo que existem e que “fazem” a sua cabeça
2 Suas culpas
3 Seus medos
4 Suas raivas
5 Suas invejas
5 Suas necessidades vitais
6 Suas vaidades
7 Seus orgulhos
8 Sua arrogância

Daí você cria seus diversos “fantasmas”.
Tudo isso porque, em algum momento, decidimos não seguir o “coração”.
Agora que a mistureba já tá feita, fica difícil sabem quem é quem….

Se me permitem uma sugestão:

Uma combinação de meditação, alongamento e terapia corporal ajuda bastante.
Os clientes, que atendi, que praticam meditação e alongamento, tem bons resultados.

Só a primeira parte da meditação que é a paralização da mente ativa, já serve bem para anular os “fantasmas” através do desprezo. (Quando ninguém dá trela pra eles, eles vão embora rs)

Com o alongamento “desinstalamos”, “desalojamos” os comandos e efeitos que eles deixam na musculatura. É uma verdadeira faxina.

Na terapia corporal o olho atendo do terapeuta alerta para certos pontos que possam ter escapado da faxina.

Com essas três práticas não dá pra esconder sujeira debaixo do tapete.
Ou você limpa ou convive com ela até conseguir eliminar.

A gente confere que está bem quando não precisa falar com nenhum “fantasma” e está em paz.